DIÁRIO DA PANDEMIA: O SR. MALANDRO AGULHA

A família não era lá essas coisas.

O filho se virava jogando dados e fazendo truques com cartas no centro da cidade, enquanto o pai saia nas manchetes dos jornais como ladrão de tocafitas.

A mãe também não era flor que se cheirasse. Certa vez quebrou de pau uma vizinha. Bateu nela com uma enxada e arrancou o dedinho do pé da vítima. Depois disse na delegacia que foi porque a vizinha falou que ela tinha cara de biscate.

DIÁRIO DA PANDEMIA: UM PIÁ DO DJANHO

O nome do piá era Arlindo, vulgo Sabugo, porque ele curtia comer espiga de milho fervido, besuntada de sal e manteiga, no armazém do japonês.

Ninguém era tão craque no jogo de Bets como o Sabugo. Não tinha bola que ele não rebatesse e não tinha casinha que ficasse em pé quando ele arremessava a bola. Depois do Sabugo era o Turquinho, e ambos formavam uma dupla imbatível.

Domingo de sol, a piazada toda foi lá no Cruzeirinho ver a partida final do campeonato de Bets: Sabugo e Turquinho x Lilo e Vespa.

O juiz era um tal de Chegado que tinha fama de ser traíra. O cara já chegou detonando o parachoque do fuque na hora de estacionar - tinha vindo de um churrasco e tava cozido de cerva.

DIÁRIO DA PANDEMIA: ABACAXIS

Nunca me passou pela torre de piolhos que um dia eu teria que lavar uma penca de bananas, banana por banana, uma caixa de ovos, ovo por ovo, e pacotinho por pacotinho de uma caixa de gelatinas multicoloridas.

Mas de doer mesmo é lavar abacaxi. Lavar abacaxi é o que há. Espeta todo o dedo. Isso quando não corta perto da unha que arde pra burro. E aí depois de todo esse empenho a coisa ainda pode não funcionar. O abacaxi pode estar azedo pra dedéu. Feito limão da casa da sogra que não tem açúcar que adoce. Mas isso já é outra história.

EBOOK


SUMÁRIO

CAPÍTULO 1 - Introdução rapidinha.
CAPÍTULO 2 - Por que e para quem escrever.
CAPÍTULO 3 - Tipos de escritas que já eram.
CAPÍTULO 4 - Criatividade, clareza e economia de palavras: como resolver essas tretas.
CAPÍTULO 5 - Sem essa de entrar numas com regras gramaticais.
CAPÍTULO 6 - Desapegando ou: rumo ao estilo próprio.
CAPÍTULO 7 - Como escrever armadilhas para influenciar leitores.
CAPÍTULO 8 - Três dicas de como escrever dando uma de erudito para impressionar idiotas.
CAPÍTULO 9 - Como imitar e fazer pastiches sensacionais: três caras que valem a pena ler por cima para imitar.
CAPÍTULO 10 - Por que ler frases e não livros para aprender a escrever.
CAPÍTULO 11 - A maior escola de escritores do mundo.
CAPÍTULO 12 - A escrita matadora de hoje em dia.
CAPÍTULO 13 - Mandando ver na internet e nas redes sociais: posts e artigos que colam.
CAPÍTULO 14 - Duas abobrinhas americanas chamadas Storytelling e Copywriting.
CAPÍTULO 15 - Mandando o leitor catar coquinho.
CAPÍTULO 16 - Marketing de conteúdo sem conteúdo e com conteúdo.
CAPÍTULO 17 - Escrever não é coisa pra se levar a sério.
CAPÍTULO 18 - Sete questões para você meditar quando for ao banheiro.
CAPÍTULO 19 - Se gostou deixa um trocado na caixinha.

Clique aqui para acessar o ebook gratuitamente, sem ter que baixar nada nem preencher formulário.

DIÁRIO DA PANDEMIA: NOSSAS TRÊS ESPADAS FLAMEJANTES

Enganam-se os que pensam que esse tal de coronavírus é invencionice chinesa.
Ou americana. Ou seja lá de quem for. Na real, esse tróço é coisa do outro mundo. É coisa do diabo mesmo. É papa fina de primeira linha do Demo. Mas do Demo chefão. Do chifrudo que pega pesado. Que pega pra valer. Tão diferente daqueles diabretes fakes dos pastores artistas da televisão que rosnavam mas não faziam mal pra ninguém. Que saudades da diabarada da TV na madrugada! Meu Deus que saudades daqueles pobres diabos magrelos e inofensivos se retorcendo feito minhoca em cima do palco!

PROVA DE CARINHO

Tempos atrás, andei remexendo nuns livros velhos lá na estante do quartinho para achar uma obra de bolso de citações latinas.

Queria encontrar alguma frase de Cícero para usar num artigo que eu estava escrevendo para uma revista digital.

Folhei o livro mas não encontrei nada que caísse bem no meu texto.

Quando eu já estava saindo vi com o rabo do olho um montinho se mexendo na última prateleira da estante. Era um filhotinho de sabiá que muito provavelmente entrou pela janela pra se esconder do frio.

AS GANGUES DA BAIXARIA NO YOUTUBE

A maior prova que a maioria é tosca e tem espírito empedernido é o sucesso que a baixaria faz nos meios de comunicação: tudo o que é escroto tem altos índices de audiência.

CHARLATANICES DA LÍNGUA OU: A ARTE DO ESTILO EMPOLADO

Sicofanta é uma pessoa mentirosa, velhaca, difamadora. Sinecura é um emprego no qual não é preciso trabalhar, algo parecido com prebenda ou veniaga, e azáfama significa muita pressa ou urgência.

REAÇÃO EM CADEIA

Inúmeras lojas já anunciaram que iram fechar em todos os shoppings do país.
A principal desculpa para fechar as portas é a pandemia, claro.
A pandemia virou desculpa pra tudo.
Seja lá como for, o futuro dos shoppings é incerto.
Muitos lojistas ainda devem abandonar o barco antes da curva do bicho achatar de uma vez por todas.
Brasileiro adora reação em cadeia.

COMO SABER SE O SEU CELULAR ESTÁ GRAMPEADO

ETAPA 1: Vá no painel onde você faz ligações e digite *#21# (asterisco-jogo da velha-21-jogo da velha) e mande discar.
ETAPA 2: Se alguma coisa estiver sendo "encaminhada", ou seja, se algum conteúdo estiver sendo mandado para fora, digite ##002# (jogo da velha-jogo da velha- 002-jogo da velha) para limpar e mande discar novamente.
NOTAS:
1. Testei no meu iphone e funcionou.
2. Se na ETAPA 1 acusar erro, repita a operação.
3. Se na ETAPA 2  acusar erro, repita a operação.
4. Fonte e instruções complementares AQUI.

O PIOR E O MELHOR NUNCA DECEPCIONAM

Em breve vamos remodelar as coisas por lá. Aliás, vai lá e dá uma espiadela no MITO DE SÍSIFO do post "SERÁ A VIDA UM ABSURDO?", que depois a gente conversa.

VANITAS

Vanitas vanitatum, et omnia vanitas. (Vaidade das vaidades, é tudo vaidade).
Novas vaidades
AQUI.

MARKETING DE CONTEÚDO LACRADOR: O QUE É ISSO


Se as coisas já não estavam fáceis antes da pandemia do coronavírus, imagine depois que a praga passar.

A maioria dos pequenos e médios empresários vai ter que praticamente recomeçar suas atividades da estaca zero.

E não há nada, literalmente nada sobre a face da terra que se compare à INTERNET para ajudar a combater esse apagão comercial.

HISTÓRIAS MARCIANAS: O BURACO DO PLANETA VERDE

Quem manda em Marte é o povo marciano.
Mas também há um Presidente que é o chefe do Executivo, além da turma do Legislativo e da meia dúzia que compõem a alta cúpula do Judiciário.
Em Marte ninguém do Executivo, do Legislativo ou do Judiciário se atreve a mijar fora do penico.
Quando isso ocorre por lá, o povo fica puto e manda ver.
O infrator é então colocado pra fora do cargo na base do pontapé e o xingamento mais suave que os marcianos proferem na cara do infeliz é: seu traidor filho da puta.
No Planeta Verde o buraco é mais embaixo.
A turma do Executivo, do Legislativo e do Judiciário de Marte andam pianinho e se borram de medo do povo marciano.

SÓ LIVRAÇO: OS 100 LIVROS QUE MAIS INFLUENCIARAM A HUMANIDADE

Se você lesse um livro por mês você levaria aproximadamente 10 anos para ler todos os 100 livros que mais influenciaram a humanidade, segundo Martin Seymor-Smith.
Martin Seymor é um economizador de tempo, que resumiu obra por obra, na boa, deixando a coisa toda palatável.
Mesmo assim não se trata de algo o bico de qualquer um.
Sobretudo é preciso curtir filosofia para se deliciar com esse livraço, mas por aqui filosofia é como arte: o interesse pela bagaça não é uma unanimidade nacional.
Apesar de tudo, tá dado a dica.

O PROBLEMA NÃO É A CANETA AZUL. O QUE PODE TE DEIXAR CEGO É A LUZ AZUL!

Há uma luz azul invisível que sai das telas dos computadores, celulares, tablets e por aí vai.
Se você fica muito tempo diante do computador todos os dias, essa luz vai minando sorrateiramente o teu olho e pode te deixar cego com o passar do tempo.
Isso mesmo: cego!
Solução: use óculos de proteção.
Dois links esclarecedores: Luz azul e Óculos de proteção.
NOTA: não conhecemos os óculos de proteção marca Xiaomi Mijia do segundo link, e só o colocamos aqui por mera ilustração.
Antes de comprar qualquer produto para os olhos consulte seu oculista.

DIÁRIO DA PANDEMIA: O TRÊS EM UM QUE ATERRIZOU POR AQUI

Tudo é diferente no Brasil.
Até o coronavírus tem outros formatos por aqui.
Além de acabar com os pulmões dos brasileiros, parece que o coronavírus também vem destroçando os "célebros de diversas otoridades".
Isso faz com que o cenário político nacional fique pior ainda que o quadro maldito de saúde pública que se abateu sobre o país.
Vivemos uma tripla pandemia, um três em um desgraçado que veio diretamente do inferno e aterrizou por aqui: a pandemia do coronavírus, a pandemia dos absurdos políticos e a pandemia do caos econômico.
Só faltam os gafanhotos das pragas do Egito.

CONCEITOS POLITICAMENTE INCORRETOS: ARTISTAS, DESIGNERS E ARTESÃOS

A maioria olha com desconfiança e desdém para uma Barbie de bigode fumando um parafuso, exposta num salão de arte contemporânea.
Esse ar de desprezo já não ocorre quando alguém se depara com uma bolsa ou um relógio de design fashion, ou mesmo uma caixinha de MDF para guardar bijuterias, pintada de dourado e preto, a la John Player Special.

DIÁRIO DA PANDEMIA: O ACHATAMENTO DA ECONOMIA E O AUMENTO DA CURVA DO BICHO

A única coisa certa que se pode constatar nos últimos 40 dias é o catastrófico achatamento da economia e o aumento vertiginoso da curva do bicho, apesar de todos os esforços de distanciamento social.
Até quando isso vai durar ninguém sabe e o problema é que a maioria das pessoas precisa voltar a trabalhar para comer.
Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

BOSTA

Arte digital.

FLORESTA

Acrílico sobre tela.

ÁGUAS DE MARÇO

Acrílico sobre tela.

ARTE FÁLICA: EXU

Acrílico sobre tela. 2,40m x 1,20m

CONFUSÃO A VISTA

ESCULTURA PÓS CONTEMPORÂNEA DE ARAME


BATATA DE BIQUINI - ESCULTURA


ZEUS


PROTEJA-SE


LOLA

Essa é a LOLA, minha shitsuzinha querida. A seta vermelha aponta para a PIPOCA dando no pé na hora que fui fotografar a LOLA.
A PIPOCA é uma pinscherzinha, um pinguinho de cachorrinha, mas esperta que só ela.
As duas não se largam e a PIPOCA foi, e continua sendo, a professora da LOLA.
Dia desses a PIPOCA veio me avisar que a LOLA tinha ficado presa embaixo de um armário. Corremos lá e salvamos ela.
As duas curtem assistir Netflix com a gente, comer salgadinho e paçoca de amendoim. Só não curtem coca-cola.