PAGANISMO ECLÉTICO

As pessoas e os espíritos precisam de rótulos, definições e conceitos para viver. Sem essa trindade não é possível organizar nada, e o caos sufoca a vida, tanto aqui quanto no mundo invisível.

Certa vez, um espírito sem papas na língua da Capela dos Ossos se referiu à minha pessoa como sendo um "pagão", alegando para tanto que eu não era cristão praticante e também não professava nenhuma outra religião monoteísta.

Não gostei muito daquela observação fora de contexto e rebati dizendo que ele estava muito mal informado. Que no mínimo ele, o espírito sem papas na língua, deveria me rotular com algo mais positivo, me rotular de "pagão eclético", por exemplo. 

Ou seja, alguém cuja alma se vale não apenas de deuses e entidades ancestrais, como também de espíritos, divindades, santos, egrégoras etc. dos mais variados matizes de diversas religiões e crenças, com as quais tenho afinidade estética, filosófica e espiritual.

A medida que se evolui no conhecimento dos mitos, fica fácil perceber que tudo não passa de um coisa só, que todos os deuses, mitológicos ou não, são um único e mesmo deus.

Tem gente que chama isso de sincretismo, outros, de coincidência.

Reverendo King Skull