FÁBULAS DE ÉRIS: A CORUJA, A COBRA E O TAMANDUÁ: PORRADARIA NA FLORESTA

Uma cobra com cara de diabo e com os dentes pingando veneno estava discutindo com um tamanduá asqueroso com unhas de sabre.

O motivo da discussão era um buraco de tatu abandonado, que tanto a cobra como o tamanduá queriam ocupar.

A cobra queria usar o buraco como armadilha: o plano era ficar escondida no fundo do buraco escuro, esperando algum bicho distraído dar as caras, de modo a ser pego de surpresa. Assim a cobra teria alimento garantido sem ter que fazer força ou sair para caçar.


O plano do tamanduá era bem diferente. O bicho pretendia arrastar algumas formigas para o buraco e iniciar a construção de um formigueiro gigante, que começaria no fundo da terra e terminaria tão alto quanto ele. Assim, o tamanduá teria comida garantida por um bom tempo.

Do alto de uma grande árvore, a coruja observava e ouvia toda a discussão, cheia de desaforos e ameaças, entre a cobra e o tamanduá, e resolveu mediar a questão - a coruja, sempre certinha, além de juiz de paz, também era mediadora dos conflitos de todos os animais da floresta.

Após aterrizar entre a cobra e o tamanduá a coruja lhes disse: queridos, parem de brigar. Isso é muito feio e eu estou aqui para ajudá-los a resolver essa questão. Botem tudo pra fora que eu oriento vocês com toda a minha sabedoria!

A coruja mal acabou de falar e a cobra mandou ver: deu um bote e armou um mata-leão de sete voltas no pescoço da ave, que rapidamente empalideceu devido à falta de ar.

Em seguida o tamanduá enterrou suas unhas sujas e afiadas diversas vezes no peito da coruja, que se esvaiu em sangue e, alguns segundos após, bateu com as dez definitivamente.

Cansados devido ao empenho na carnificina, a cobra e o tamanduá decidiram que iriam descansar e retornariam ao buraco nos próximos dias para resolver o assunto.

A seguir se despediram e deixaram o cadáver da coruja abandonado ao lado do buraco, para ser devorado pelos abutres.

Moral da história: nunca meta o bedelho onde você não foi chamado que você pode se ferrar!