De graça até injeção no olho: bazar de arte na faixa em Curitiba.

Toda guerra é ruim, evidentemente, mas até mesmo as coisas ruins tem lá seu lado bom - muitas descobertas e avanços tecnológicos podem ser creditados às guerras, e o mesmo ocorre com as crises. O lado bom da crise que o país atravessa é que o pessoal está tendo que se virar nos trinta a todo vapor, e aí surgem coisas geniais.
Vejam as lojinhas, por exemplo, que cerraram suas portas, e cujos donos migraram para os bazares de final de semana: não é que a emenda saiu melhor que o soneto ?!
Pois é... Creio que bazares de arte de final de semana também seriam uma boa para muitos artistas.
Tenho acesso a um espaço alternativo em Curitiba, que pode ser cedido de bom grado para começar a coisa, sem custos, desde que o time todo ajude a organizar e divulgar o evento.
A vantagem é que se ninguém vender nada, ninguém paga nada também, e valeu a farra.
É uma ideia para ser amadurecida.