VIVA O SUPÉRFLUO

Creio que foi Voltaire o primeiro a dizer que o supérfluo é uma coisa muito necessária, e o segundo fui eu.
E olha que no tempo de Voltaire, comparando-se com os dias atuais, existia uma ninharia de coisas supérfluas; hoje existem toneladas de supérfluo em cada esquina, toneladas e mais toneladas por centímetro quadrado, fazendo a felicidade de todos.
Optar por este ou aquele supérfluo é uma questão de gosto.
Há quem goste de filosofia, por exemplo, como também há quem goste de colecionar selos ou comer caviar.
Todo supérfluo é uma coisa útil, que não tem utilidade alguma.

Share